Escola de bambu na Colômbia

Como parte da estratégia nacional da Colombia de atenção a juventude integral, o programa “De cero a siempre” os arquitetos Daniel Feldman e Ivan Quinonas criaram um centro infantil com o objetivo de transformar o centro da cidade de Vila Rica, promovendo educação, recreação  e alimentação  para 300 crianças, 100 mulheres gestante e 200 recém nascidos.


escola-colombia-bambu1-e1411116041383


A inauguração da escola no final de 2013, marcou o fim de um longo processo participativo com as crianças, adolescentes, funcionários e líderes da comunidade locais que foram o ponto de partida do projeto para definição de espaços, materiais, dimensões e relações com a cidade. A construção durou nove meses.

Os fundos para construir a escola vieram de cooperações internacionais, doações privadas, e recursos públicos. Mais de 60 construtores locais foram empregados, ao lado de 30 mulheres locais que foram capacitadas para educar os jovens.


escola-colombia-bambu10-e1411115135705

escola-colombia-bambu6-e1411115030373

escola-colombia-bambu11-624x418


O projeto é um bom exemplo de construção ecológica com o uso de pouca tecnologia, responsável com o meio ambiente e com a utilização de materiais duráveis. As estratégias de iluminação e ventilação natural permitiram que a escola não tivesse a necessidade de utilizar sistemas de climatização pesados.

A textura das paredes em concreto ocre, foram definidas pela comunidade fazendo referência ao uso de taipa das antigas construções, que já não existem mais.

O muro de bambu foi “tampado” com garrafas recicladas, coletadas pelos moradores da vizinhança e instaladas pelas educadoras, para proteção da chuva. Assim, o processo de reciclagem e utilização se torna evidente para as crianças.






escola-colombia-bambu2-e1411115301785

escola-colombia-bambu8-e1411115403784


As salas de aula oferecem obstáculos, tornando o processo de descoberta um desafio e um jogo de tornar a educação uma experiência interativa, projetadas seguindo o sistema pedagógico ‘Reggio Emilia’. Numerosas entradas e saídas ligam os espaços através de pontes, escadas, e escorregas promovendo uma atmosfera de tomada de decisões e desenvolvimento individual através da arquitetura.

A escola é composta de 10 salas de aula, um comedouro, zonas interiores e exteriores de lazer, espaços de artes semi-privativo, sala de primeiros socorros, escritórios de administração, horta, teatro público, e uma praça cívica.


escola-colombia-bambu7-e1411115720355

escola-colombia-bambu9-e1411115586175

escola-colombia-bambu4-e1411116650415

Escola-em-Bambu-horta-e1411120051236


As estratégias de captação de água, a correta orientação em respeito ao sol e ao vento das salas de aula, o uso de materiais locais e recicláveis, a reinterpretação das técnicas tradicionais de construção e a criação de espaços públicos e culturais foram os fatores determinantes para o sucesso do centro infantil, chamado “El Guadual”.


Fonte: Designboom

Imagens e video: Daniel Feldman e Ivan Quinones

Escola em bambu na Colômbia – SustentArqui – http://sustentarqui.com.br/construcao/escola-em-bambu-na-colombia/

Facebook Comments

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *