Evolução Urbana – Cidade Canoas/RS

Síntese sobre a evolução urbana da Cidade de Canoas no Rio Grande do Sul

_ Histórico

Inicialmente, a área onde hoje se localiza o município de Canoas era habitada por índios Tapes, quando em 1725 chegaram na região os tropeiros lagunistas, e com eles o conquistador Francisco Pinto Bandeira.

Pinto Bandeira solicitou ao Rei de Portugal as terras que se estendiam pela margem direita do Rio Gravataí, recebendo a Carta de Sesmaria em 20 de maio de 1740, mas já em 1733 tinha ocupado essas terras e criado a Fazenda Gravataí, atual Bairro Estância Velha.

Francisco Pinto Bandeira faleceu em 1771, e suas terras foram herdadas pelo filho, Rafael Pinto Bandeira. Alguns anos depois, após a morte de Rafael, sua mulher Josefa Eufália de Azevedo (A Brigadeira) ficou com a posse da fazenda, que posteriormente foi desmembrada.

A filha de Rafael e Josefa, Rafaela Pinto Bandeira casou-se com o coronel Vicente da Silva Freire, sendo os proprietários das terras. Após as suas mortes, as terras da família ficaram com o filho Major Vicente Ferrer da Silva Freire, e genro, José Joaquim dos Santos Ferreira.

Em 1867 um projeto de lei determina a construção da estrada de ferro que ligaria o município de São Leopoldo a Porto Alegre, tendo início no ano de 1871, com o primeiro trecho da ferrovia inaugurado em 1874. No centro da Fazenda Gravataí, atual área central de Canoas, que na época pertencia aos municípios de Gravataí e São Sebastião do Caí, foi construída uma estação, que fez com que o povoamento da região se iniciasse no entorno dela.

Os homens da guarda da estação, situada as margens do Rio dos Sinos, construíram uma canoa para o serviço na água. Posteriormente, outras canoas foram feitas com as árvores do mato que havia no local, que por esse motivo ficou conhecido como Capão das Canoas, o que originou o nome da estação, do povoado e também do município.

Na época o proprietário da Fazenda Gravataí, Major Vicente Ferrer da Silva Freire, aproveitou-se da estação férrea para inserir em suas terras algumas chácaras de veraneio para venda, e logo as grandes fazendas foram perdendo espaço para as pequenas propriedades, chácaras e granjas.

Em 1884, o major vende grande parte de sua fazendo ao Coronel da Guarda Nacional Saturnino Mathias Velho. Então o Arquiteto Italiano Luís Millanez é convidado para ajudar no processo de urbanização e loteamento. Em 1895, Vicente Freire vende o restante de suas terras à um parente, Israel Barcelos Schell, que ampliou o loteamento.

No ano de 1908, Canoas é elevada a Capela Curada*, com São Luís Gonzaga dando nome a igreja. *Capela Curada: no Brasil, a obtenção desse título era fundamental para o desenvolvimento da área urbana do interior entre os séculos XIX e XX, pois somente se criava freguesia nos locais onde houvesse um povoado que tivesse uma capela.

Ainda em 1908, os irmãos Lassalistas criaram uma escola agrícola, de ensino primário e secundário no centro do município.

Os comandantes do 3º Regimento observaram graves problemas de administração nas áreas de Canoas, devido à distância de Canoas da sede municipal, Gravataí. Com base nisso, o Coronel Ivo Borges que estava no comando do Regimento de Aviação, convidou o Dr. Victor Hugo Ludwig a liderar o movimento pró-emancipação de Canoas, que logo procurou o prefeito de São Sebastião do Caí, Egídio Michaelsen, seu amigo. O prefeito então sugeriu a Ludwig que buscasse o apoio de Santa Rita (6º Distrito de Caí) e ambos formassem o novo município.

Com isso, o movimento pró-emancipação de Canoas também foi apoiado pelo Sr. Miguel Fraga de Moraes Sarmento, que era o líder político no 6º distrito caiense, trazendo, em poucos dias, um manifesto com mais de 600 assinaturas pedindo a união do 6º distrito do Caí com o 4º de Gravataí para a formação do novo município.

Em 1937, a instalação do 3º Regimento de Aviação Militar (RAV), hoje o 5º Comando Aéreo Regional (V Comar), foi decisiva para emancipação de Canoas. Victor Hugo Ludwig na liderança do movimento emancipacionista levou as razões da emancipação de Canoas também ao general Flores da Cunha, interventor federal no estado.

Em 31 de março de 1938 o Decreto 7.199 estabelece a divisão administrativa e judiciária do Estado, no qual Canoas continua como distrito de Gravataí, sendo modificado em 29 de novembro do mesmo ano, com o número de Decreto 7.589, elevando Canoas à condição de Vila, e no ano seguinte, no dia 27 de junho de 1939, torna-se cidade pelo Decreto Estadual 7.839. Edgar Braga da Fontoura foi o primeiro prefeito do município que contava com 40.128 habitantes.

Canoas começou a prosperar a partir de 1945, após o fim da Segunda Guerra Mundial, quando muitas empresas nacionais e multinacionais começaram a se instalar, como a Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), Springer Carrier e AGCO do Brasil, além de empresas das áreas de gás, metal-mecânico e elétrico.

Em 20 de março de 1992, Canoas perdeu seu 2º Distrito, que emancipado tornou-se Nova Santa Rita.


3

6º Distrito de Caí e 4º Distrito de Gravataí. Fonte: Prefeitura Municipal Canoas


Após 1970 a economia da cidade cresceu muito rapidamente em comparação as outras cidades da região, assim como sua população. Pouco tempo depois a cidade já era um grande centro urbano, sendo atualmente a 2º maior economia do estado, e possuindo a segunda maior rede de ensino do Estado, com escolas públicas, particulares e três universidades.






_ Evolução e ocupação

Em 1824 a região começa a receber os primeiros imigrantes alemães, e italianos em 1875.


4

Mapa do ano de 1884 – Fonte: http://culturadaquerencia.blogspot.com.br/


O início da ocupação do território de Canoas foi impulsionado pela construção da estrada de ferro, com a primeira estação inaugurada em 1874, construída no centro das terras do Major Vicente Ferrer da Silva Freire (hoje centro da cidade, próxima a Estação Canoas), que fez com que o povoamento se iniciasse no entorno dela, e posterior houve a ocupação do Bairro Niterói, mapas 1 e 2.

5

Fonte: Livro ‘’Estado da Cidade – um retrato de Canoas’’, edição 2014 – Instituto Canoas XXI


Em 1937, a instalação do 3º Regimento de Aviação Militar, os decretos de 1938 (condição de Vila) e de 1939 (condição de Cidade), foram decisivos para o crescimento da ocupação que ainda se dava de forma lenta, mapa 3.

A partir de 1945, as indústrias começam a se instalar na cidade, trazendo emprego e a necessidade de moradias. A ocupação de terras se dá nas regiões onde se encontram hoje os bairros Niterói, Fátima e Mathias Velho. No mapa 4, observamos um crescimento maior. De acordo com o Estado da Cidade – Um retrato de Canoas, a área ocupada passa de 8,12km² para 14,02km².

6

Fonte: Livro ‘’Estado da Cidade – um retrato de Canoas’’, edição 2014 – Instituto Canoas XXI


Nos anos de 1960 e 70 (mapa 5 e 6), os trabalhadores das fábricas começam a se instalar em outros pontos da cidade – Bairros São Luís, Brigadeira, Igara, Olaria, Rio Branco, Guajuviras, Marechal Rondon, além dos Bairros Fátima e Niterói que já eram ocupados.

7

Fonte: Livro ‘’Estado da Cidade – um retrato de Canoas’’, edição 2014 – Instituto Canoas XXI


No período entre os anos de 1980 e 1990 (mapas 7 e 8), a ocupação cresce consideravelmente, tendo agora quase a totalidade do território ocupado. De acordo com o Estado da Cidade – Um retrato de Canoas, a área ocupada passa de 37,37km² em 1980 para 46,47km² em 1990.

8

Fonte: Livro ‘’Estado da Cidade – um retrato de Canoas’’, edição 2014 – Instituto Canoas XXI


Entre os anos 2000 e 2010 o crescimento volta a ser mais lento, com aumento de 2,20km² a cada intervalo de 10 anos, totalizando 50,87km² no ano de 2010.

9

Fonte: Livro ‘’Estado da Cidade – um retrato de Canoas’’, edição 2014 – Instituto Canoas XXI


_ População e ocupação ao longo dos anos

O histórico geográfico do município apresenta informações a respeito da população e densidade demográfica, que são dados essenciais no planejamento urbano e gestão do território.

Através da análise da mancha urbana podemos perceber o grande crescimento da área ocupada pela urbanização no município nos últimos anos, principalmente nos anos 2000.


_ Imagens evolução da cidade

10

– 1874 – Porteira na estação de Canoas, supostamente para impedir a entrada de animais. A estação possui dimensões de 5,50 x 3,40 m.
Fonte: http://www.estacoesferroviarias.com.br/rs_linhaspoa/canoas.htm

– 1908 – A Maria fumaça cortando o centro da cidade e ao fundo o conjunto de prédios do Instituto São José construído logo após a chegada dos irmãos Lassalistas a Canoas.

Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotosantigas/foto4.htm

– 1930 – A antiga estrada Porto Alegre – Canoas na década de 30.
Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotoscanoas/foto18.htm

– 1931 – Prédio em construção da nova Igreja da Matriz, em 31 de março de 1931.

Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotosantigas/foto6.htm

– 1950 – Centro de Canoas na década de 50.

Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotosantigas/foto12.htm

– 1952 – Praça da Bandeira.

Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotosantigas/foto13.htm

– 1958 – A sede do banco agrícola mercantil, primeira agência bancária de Canoas, esquina das ruas XV de Janeiro e Frei Orlando.
Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotoscanoas/foto7.htm

– 1968 – Colocação do avião de caça Gloster Meteor F8 como destaque soberbo na antiga Praça cinquentenário La Salle. Em 1977, o nome foi alterado para Praça Santos Dumont (conhecida como Praça do Avião) e sob a proteção da bandeira. Os Monumentos que hoje ali estão são cartões postais de Canoas, simbolizando progresso.

Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotoscanoas/foto3.htm

– 1980 – Imagens de Canoas nos anos 80
Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1640076

– 1984 – Obras da linha do trem.

Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1640076

1995 – Antigo Canoas Shopping.

Fonte: http://www.fundageo.com.br/obras.html

2012 – Imagem aérea da cidade de Canoas atualmente.

Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=911512


11

Vila Mimosa – Fonte citada no texto abaixo

 A Vila Mimosa é um dos prédios mais antigos existentes na zona urbana de Canoas. Em 1904, quando Canoas ainda era um lugar de veraneio, o contador Frederico Guilherme Ludwig mandou construir uma residência que seria para descanso. Mas acabou vindo morar com a esposa, Dona Mimosa. No local, de um lado funcionava um armazém de secos e molhados, e de outro, a primeira loja de armarinhos da cidade. Em 1923 foram realizadas as primeiras ampliações na estrutura da casa que foi depois habitada até 1999 por um dos filhos do casal, o médico Victor Hugo Ludwig, e sua família.

A Casa das Artes Vila Mimosa está localizada na Avenida Guilherme Schell, no Centro de Canoas. Foi tombada como patrimônio histórico de Canoas em 2010 e restaurada pela construtora Goldstein Cyrella, que a entregou ao município em dezembro de 2011

Fonte: http://defender.org.br/noticias/rio-grande-do-sul/canoasrs-os-dois-lados-do-patrimonio-cultural-vila-mimosa/


12 13

Primeira estação férrea de Canoas – Segunda estação férrea de Canoas, no mesmo local

 A primeira estação férrea foi demolida para a construção da nova edificação da estação, que foi desativada e preservada. Hoje abriga a sede da Fundação cultural do município. Fonte: http://www.trensurb.gov.br/blog/dos-trilhos-para-a-cultura/


14

Hospital Nossa Senhora das Graças – Fonte citada no texto abaixo

Hospital Nossa Senhora das Graças, no início de seu uso e, atualmente, após passar por uma reforma. Fonte: http://www.gracas.org.br/hospital.php?op=1&&id=ABC&height=1500&menu=3


15

Prédio da Prefeitura Municipal de Canoas – Fonte citada no texto abaixo

A primeira imagem é de abril de 1957. O prédio foi inaugurado pelo Prefeito Sady Fontoura Schivitz em 1953, para abrigar a sede da Prefeitura Municipal de Canoas.

Fonte: http://www.busatocanoas.com.br/cidades/fotosantigas/foto14.htm


16

Rua Barão de Santo Ângelo – Fonte citada no texto abaixo

A Rua Barão de Santo Ângelo, é uma das ruas que ligam a BR-116 à Avenida Victor Barreto, nas imediações da Estação Mathias Velho da Trensurb.

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/almanaquegaucho/category/cidades/


17

Rua Santos Ferreira – Fonte citada no texto abaixo

Rua Santos Ferreira, esquina com a Rua Santa Maria. Fonte: Google Maps


18

Mansão dos Mathias Velho e Canoas Shopping – Fonte citada no texto abaixo

No ano de 1882, Saturnino Mathias Velho comprou uma grande área do Major Vicente Ferrer da Silva Freire, e em 1909 construiu a Mansão dos Mathias Velho na esquina das ruas Guilherme Schell e Mathias Velho. A família residia neste local, sendo os primeiros habitantes do atual bairro Mathias Velho, que recebe seu nome. A edificação foi parcialmente demolida para a construção da linha férrea, e em 1986 foi totalmente demolido para a construção do Canoas Shopping.

Fonte: http://mathiasvelhocanoas.blogspot.com.br/2009/08/historico-da-familia-mathias-velho.html


Post por:

ASSINATURA_VANESSA17


CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES SOBRE O MUNDO ARQUITETÔNICO

O seu nome (obrigatório)

O seu email (obrigatório)

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *