História _ Cidade Neoclássica

  “A ARQUITETURA NEOCLÁSSICA É A ARQUITETURA DA RAZÃO, UMA ARTE INTELECTUAL, SEM SUBJETIVISMO.”


CONTEXTO HISTÓRICO

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL  (1760 – 1850)

1.Modifica as técnicas de construção através:

  • Do uso de novos materiais como o ferro, vidro e o concreto, além de tijolo e pedra;
  • Do uso de máquinas;
  • Da representação rigorosa e padronização dos elementos construtivos: pelo uso da geometria descritiva (Gaspard Monge), e pelo uso do sistema decimal único para todo o mundo;
  • Da instituição de escolas especializadas: Academia de Arquitetura (1671), depois Escola de Belas Artes, e Escola Politécnica (1794).
  1. A demanda de materiais de construções aumenta, e sua produção também.
  1. Os edifícios adquirem um novo significado e são vistos como investimento financeiro.

ILUMINISMO (1688 – 1789)

  • Pensamento filosófico que acreditava que a razão levaria à humanidade.

REVOLUÇÃO FRANCESA (1789-1794)

  • Seus ideais consideravam as virtudes dos antigos romanos como um modelo oposto à frivolidade.

CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS

  • A qualidade da obra deveria estar na solidez, sobriedade e comodidade;
  • Retomada das características greco-romanas
  • A tipologia templo, converte-se em tipologia de um movimento. Palácios, teatros, câmaras parlamentares, tem formas exteriores próprias dos templos clássicos;
  • Clareza construtiva: uso da simetria e uniformidade;

simetria

Marcação de um pórtico com frontão no eixo da fachada principal


  • Os edifícios eram baseados em formas severas (cubo, esfera, cilindro e pirâmide), o que muitas vezes os tornavam utópicos;
  • Nas plantas, a revalorização das formas quadradas, retangulares ou centralizadas. Desaparecem as plantas irregulares e retornam os módulos compositivos;
  • As platibandas e balaustradas são usadas, e os telhados não ficam visíveis nas fachadas;
  • Os elementos decorativos são pensados de maneira independente da construção;
  • Valorização do material em si, sem enganos visuais.

CARACTERÍSTICAS URBANAS

  • O urbanismo como ciência da cidade: pretende-se que a cidade tenha uma única unidade estilística correspondente à ordem social;
  • Necessidade de transformar não apenas a arquitetura, mas também as estruturas espaciais, as dimensões, as funções das grandes cidades;
  • Eixos em esplanadas e de linhas retas, caracterizados pela simetria dos edifícios dominantes;
  • As residências ficavam sobre o alinhamento das ruas e sobre os limites laterais dos lotes.

PRINCIPAIS EXEMPLOS

PORTUGAL:

A arquitetura neoclássica portuguesa teve influências da arquitetura pombalina, que surge com a necessidade de reconstrução das cidades devastadas pelo terremoto de 1775.

Na cidade do Porto houve influências inglesas em resultado da importante comunidade britânica.

Lisboa recebe influências italianas devido ao gosto dominante na corte.

No entanto, o forte caráter funcional é uma das características comuns entre os dois pólos.

INGLATERRA:

Na Inglaterra, o neoclassicismo foi associado com as classes aristocráticas e industrial e se tornou útil para os seus objetivos de construir um império.

O Paladianismo se inicia com o conde Burlington, mas em 1750 começam a buscar assiduamente a base da arquitetura romana.

FRANÇA:

Na França o abad Cordemoy no seu “Novo Tratado de Toda a Arquitetura” (1706) substituiu os atributos vitruvianos de Utilidade, Solidez e Beleza por: Ordem, Distribuição e Conveniência.

A Igreja de Madeleine, de Vignon, é uma amostra incontestável do retorno da arquitetura clássica que se verificou durante a época napoleônica. São edifícios grandiosos de estética totalmente racionalista: pórticos de colunas colossais com frontispícios triangulares, pilastras despojadas de capitéis e uma decoração apenas insinuada em guirlandas ou rosetas e frisos de meandros.

igreja

Igreja de Madeleine, Barthélemy, (1806/26), Paris.

ITÁLIA:

A Itália foi o centro irradiador do neoclassicismo.

E passou a ser um local de estudos para os arquitetos do período neoclássico, pois conhecer as ruínas Greco-romanas era a base da arquitetura neoclássica.

ruinas

coliseu

Ruínas e Coliseu, Roma.

ALEMANHA:

A sua gramática severa e simples, fortemente marcada pela arte grega, está bem representada nos trabalhos de Carl Gotthard Langhans, autor da Porta de Brandenburgo em Berlim, (1788-1791).

portao

Portão Brandenburgo, Berlim.

ESTADOS UNIDOS:

Exemplo clássico do urbanismo uniforme, com características arquitetônicas do Neoclassicismo: cidade de Washington, EUA.

 

washington


Fonte:

JORDAN, R. Furneaux. Arquitetura no ocidente. Editorial Verbo. 1979.

MUMFORD, Lewis. A cidade na história. 1 ed. Editora Itatiaia. Belo Horizonte. 1961.

Neoclassicismo. Brasil. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Neoclassicismo>. Acesso em 21 maio 2010.

Europian art: neoclassicism. Chicago: 2002. Disponível em: <http://www.glbtq.com/arts/eur_art5_neoclassicism.html>. Acesso em: 25 maio 2010.

Neoclassicismo. São Paulo: 2010. Disponível em: <http://www.slideshare.net/guest9c2383/24-neoclassicismo>. Acesso em: 19 maio 2010.

Imagens disponíveis em: <http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi>.


CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES SOBRE O MUNDO ARQUITETÔNICO

O seu nome (obrigatório)

O seu email (obrigatório)

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *